quarta-feira, 19 de maio de 2010

O sol é dominante, como uma tocha lá no alto!

O sol é dominante, como uma tocha lá no alto
Os jatos cruzam ao seu lado
e os foguetes saltam feitos sapos
A paz não é mais preciosa
A loucura circula como lírios em volta da lagoa...

Os artistas pintam suas cores
vermelhas, verdes e amarelas
Os poetas rimam sua solidão
Os músicos morrem de fome
Os escritores erram o alvo
Mas não os pelicanos, não as gaivotas
Os pelicanos mergulhas
Sobem, arrepeiados, quase mortos
Com peixes radiativos em seus bicos
O céu se acende de vermelho
As flores desabocham como sempre
mas cobertas de uma fina poeira de combústivel e cogumelos
Cogumelos envenenados


E em milhões de alcovas, os amantes se entrelaçam
Perdidos e doentes como a paz
Não podemos acordadar?
Temos de continuar, amigos
A morrer enquanto dormimos?

Texto: Charles Bukowski
Imagem: Fotos do escritor Charles Bukowski

24 comentários:

  1. Os poetas rimam sua solidão
    Os músicos morrem de fome
    Os escritores erram o alvo

    SUPER animador.

    ResponderExcluir
  2. Essa primeira foto do Bukowski não deixa dúvidas sobre sua autenticidade...rs
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Bukowski é pungente: eis tudo!

    abraços,
    Tania

    ResponderExcluir
  4. Bukowski = palavra radiotiva.



    Fui contaminada.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. como dizia 'nem tente!; Bukowski é foda.

    abraço
    ns

    ResponderExcluir
  7. a porcaria do blogspot está ocultando os comentários :(

    ResponderExcluir
  8. Há quem goste muito do poeta, pouco do homem, mas ele não seria o poeta se não fosse o homem, seria? Eu gosto muito dele.

    Beijo Rafa.


    PS.: O livro que a Lulu estava lendo na foto é o New Yorkers, escrito pelo O. Henry (William Sydney Porter) - uma coletânea de short stories. Os alunos lá da escola têm que ler pelo menos 1 livro de literatura em inglês todo ano, a Lu escolheu esse e fez um excelente trabalho.

    =*

    ResponderExcluir
  9. Que massa!Tu faz poemas..
    Então, tu deixastes um comentário mas não estou conseguindo abri-lo para ler sequer aceitar se puderes mande-me novamente.
    Depois volto com calma ler seu blog ok
    Agora tô vendo o jogo haushauhsa

    Um Abraço e um beijo

    ResponderExcluir
  10. Que maravilha! Quanta visão é necessário pra escrever algo assim? Excepcional como todo post!

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  11. Mas ele permanece por lá, firme, forte, imbatível. Hoje mais audacioso, pelos homens com seu foguetes estarrecedores, derrubando as matas, pertubando a Paz e o sol ardente cada vez mais....

    Muito reflexiva tuas letras
    parabéns!

    Bjs
    Livinha

    ResponderExcluir
  12. Pessoal não sei o que está se passando com o blog...talvez seus comentários estejam indo para a ilha do lost sei lá...rsrsr...!

    abraço

    ResponderExcluir
  13. Belo texto!
    Adoro essas poesias cheias de realidade...
    Bjs
    Mila

    ResponderExcluir
  14. "O sol
    vive à sós
    ao menos pelo dia
    porque à noite
    não estamos de vigília
    e o sol se esguia
    noite adentro
    vida afora
    insólita poesia"

    (Palhaço e Rafoca)

    ResponderExcluir
  15. os poetas rimam solidão
    e os musicos morrem de fome

    me amarro no Bukowski

    ResponderExcluir
  16. a estética da decepção e do caos está toda aqui, caro amigo. o seu lirismo parece tornar a morte mera brisa que agita as folhas das árvores...
    um abraço!

    ResponderExcluir
  17. Oi! Cada vez que venho aqui, sinto-me imersa em histórias, culturas e outro seres (rsrsrs) com os quais não tinha nenhuma intimidade. Obrigada! Um beijão, Deia

    ResponderExcluir
  18. Lindíssimo, Juan!
    Texto e imagens espetaculares.
    Grata pelo post tão interessante!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  19. Me dá uma deprê...
    Mas ainda assim é bom demais.

    abç
    Rossana

    ResponderExcluir
  20. Oi Rafa! estou comentando aqui porque ainda não li seu novo post (está tarde para caramba!) e eu só gosto de colocar comentários quando eu LEIO o post (coisa de escritora blogueira!). Bom, esse comentário aqui é para agradecer o elogio no meu conto "Clara" e dizer que você pode imprimí-lo sim. Fica só a curiosidade: você irá mostrá-lo a alguém? rsrsrs. Beijos, meu amigo virtual, amanhã (descansada) eu volto para poder ler seu post novo como eu gosto: atenta!! Carinhosamente, Deia

    ResponderExcluir
  21. poetas são semi-deuses e o velho buk é um dos meus.

    abs

    ResponderExcluir
  22. O meu Velho Safado sempre tinha razão quando se referia á solidão e ao amor. Só ele, a sua maneira sabia os sentir de forma tão terna, crua, nua e verdadeira. Só ele!

    beijos,

    Tâmara

    ResponderExcluir
  23. eu queria ter vivido no tempo dele, queria muito ter conhecido o velho Buk.
    bj

    ResponderExcluir

- Chegue diante do quadro sem intenção preconcebida de sarcasmo.

- Olhe para a pintura do mesmo modo como olharia para uma pedra talhada. Aprecie as facetas, a originalidade da formam, a luta com a luz, a disposição da linha e das cores [...]

- Escolher um detalhe que seja a chave do conjunto, fixá-lo por um bom tempo, e o modelo surgirá.

- Nessa última comparação, deixar-se levar até as regiões da mais requintada Alusão.

Max Jacob


Que os vasos se comuniquem!

Related Posts with Thumbnails